''Lembrando que sempre há uma outra chance, uma outra amizade, um outro amor e uma nova força. Para todo fim, um recomeço.”
Lembranças, é o que me resta.
1 2 3 4 5 »
THEME PROMISSE @
“Lembranças nunca morrem. Mesmo quando você as deixa trancadas em um poço fundo, lá atrás.”
A culpa é mesmo das estrelas? (via auroriar)

posted on 3 hours ago with 24,805 notes · via · source · reblog
“Eu sou tipo. Tipo. Sou tipo uma granada, mãe. Eu sou uma granada e, em algum momento, vou explodir, e gostaria de diminuir a quantidade de vítimas, tá? Eu sou uma granada — repeti. — Só quero ficar longe das pessoas, ler livros, pensar e ficar com vocês dois, porque não há nada que eu possa fazer para não ferir vocês; vocês estão envolvidos demais, por isso me deixem fazer isso, tá? Não estou deprimida. Não preciso sair mais. E não posso ser uma adolescente normal porque sou uma granada.”
A Culpa é das Estrelas. (via auroriar)

posted on 3 hours ago with 16,565 notes · via · source · reblog
“Não foi desejo. Nem vontade, nem curiosidade, nem nada disso. Foi um choque elétrico meio que de surpresa, desses que te deixa com o corpo arrepiado, coração batendo acelerado e cabelo em pé . Foi sentimento . Não foi planejado, nem premeditado. Foi só um querer estar perto e cuidar, tomar todas as dores e lágrimas como se fossem suas. A vontade e o desejo vieram depois, bem depois. Não foi um lance de corpo, foi um lance de alma. Não foram os olhos, nem os sorrisos, nem o jeito de andar ou de se vestir, foram as palavras. Uma saudade e uma urgência daquilo que nunca se teve, mas era como se já tivesse tido antes. Foi amor. É amor.”
Tati Bernardi.   (via auroriar)

posted on 3 hours ago with 11,283 notes · via · source · reblog
“Crescer significa mudar e mudar envolve riscos, uma passagem do conhecido para o desconhecido.”
A Cabana.   (via auroriar)

posted on 4 hours ago with 14,559 notes · via · source · reblog
“Decidi não ficar mais triste. Certas coisas não valem minha dor.”
Cazuza   (via auroriar)

posted on 4 hours ago with 69,970 notes · via · source · reblog
“Somos feitos de bagunças, principalmente dentro de nos mesmos. É como se existisse furacões dentro de nós e como todos sabem, furacões tem nome de pessoas.”
O menino Charlie. (via auroriar)

posted on 10 hours ago with 13,919 notes · via · source · reblog
Uma vez um certo alguém chegou em mim e me perguntou quais os tipos de pessoas que me encantam, e eu respondi; “Aquelas que não desistem de mim.”
Thiara Macedo (sdpm)

posted on 10 hours ago with 10,331 notes · via · source · reblog
“Sou até muito educada com quem merece um soco na cara.”
Tati Bernardi.    (via auroriar)

posted on 1 day ago with 55,633 notes · via · source · reblog
“Não adianta. Eu nunca vou aprender a beber café, colocar água na forminha de gelo sem derramar, nem conseguir soltar uma gargalhada um pouco mais baixa. Eu nunca vou deixar de rir da cara daquelas menininhas estúpidas que saem de casa para caçar homens e não veem problema algum em sair dando pra meio mundo afora. Eu nunca vou deixar de sentir tremores em todos os andares do meu corpo ao perceber que estou sendo encarada por qualquer pessoa que seja. Não adianta, não há solução, não vim com devolução de fábrica. Eu sou assim e ponto. Nunca vou me acostumar em acordar cedo, como também nunca vou me acostumar com o fato de ter mais gente passando fome do que mais gente dando valor ao pouco que possui. Nunca vou entender porque algumas pessoas andam com o nariz empinado como se elas fossem as melhores do mundo, mesmo sabendo que não são. Eu nunca vou deixar de odiar o cheiro de cigarro. Nunca vou aprender a chupar laranja sem fazer algum barulho, como também nunca vou aprender a fazer as malas para uma viagem sem colocar todo o meu guarda roupa lá dentro. Eu nunca vou saber, de fato, receber um elogio. Quando eu não rio de nervoso, rio de ironia. E, ah, eu nunca vou conseguir deixar de ironizar tudo. Nem de falar sério, rindo. Nunca. Eu nunca vou me acostumar com a ideia de que, sim, existe quem seja capaz de maltratar um animal. Nunca vou entender qual a tamanha graça em fingir sentimentos, usar pessoas e maltratar corações desamparados. Eu nunca vou ser a favor da aproximação por interesse, como também nunca vou ser contra a sinceridade de cara limpa. Eu nunca vou ser capaz de enxergar um motivo realmente bom para que a espécie humana ainda exista. Nunca, nunquinha. Eu nunca vou entender porque eu continuo escrevendo como se soubesse quem sou, mesmo sem saber.”
Ana: a menina sem qualidades.    (via psycho-motel)

posted on 1 day ago with 4,581 notes · via · source · reblog
“Que me desculpem os frágeis, deprimidos e exagerados, mas tem dor que não é pra tanto. Eu, por exemplo, levo umas duas rasteiras da vida por semana. Se eu caio? Caio. Se eu morro? Não, não morro. E você também não morrerá. Sem drama, sem exageros. Quem muito exagera na dor, um dia acaba acreditando que ela machuca na mesma proporção e, por fim, acaba morrendo. Eu ainda estou vivo, e você?”
Alugue Felicidade  (via auroriar)

posted on 2 days ago with 39,501 notes · via · source · reblog